Secretaria de Saúde de ST quer ampliar cobertura básica até final de 2014

Serra Talhada pode atingir 100% de cobertura em atendimento básico até dezembro de 2014. Essa é uma das metas estipuladas pela Secretaria de Saúde do município, que trabalha atualmente com uma rede de abrangência de 70%, índice considerado satisfatório pelo Governo Federal. Durante audiência pública promovida pela IX Geres (Gerência Regional de Saúde), nesta quinta-feira […]

8 de agosto de 2013 | 16:43

Saúde 1Serra Talhada pode atingir 100% de cobertura em atendimento básico até dezembro de 2014. Essa é uma das metas estipuladas pela Secretaria de Saúde do município, que trabalha atualmente com uma rede de abrangência de 70%, índice considerado satisfatório pelo Governo Federal. Durante audiência pública promovida pela IX Geres (Gerência Regional de Saúde), nesta quinta-feira (7), a secretária de Saúde da Capital do Xaxado, Socorro Brito, cobrou o fortalecimento da rede de atendimento junto aos órgãos estaduais e federais.

“A gente tem como meta cobrir a saúde básica com 100% até dezembro de 2014. Hoje temos 70% de cobertura, mas isso flutua por conta de uma saída ou outra de médicos dos quadros da prefeitura. Estamos tentando atuar articulando uma rede fortalecer o nosso setor. Essa rede atualmente está quebrada. É importantíssimo trabalhar em sintonia junto ao estado e o Governo Federal, a nossa voz pode ficar alta se nós se unirmos forças”. Brito ressaltou ainda que a Secretaria de Saúde tem obtido êxito, principalmente, no tocante à prevenção.

“O atendimento introdutório tem sido um ponto alto da nossa gestão, e estamos trabalhando os nossos indicadores em cima dos dados vermelhos e alertando os nossos médicos possam se fazer entender. Estamos atualmente trabalhando em parceria com a Secretaria de Esportes do município junto ao projeto das academias nos bairros justamente preocupados com a prevenção”.

MAIS MÉDICOS

Apesar de se dizer relutante logo após o anúncio de lançamento do programa Mais Médicos, do Governo Federal, Socorro Brito afirmou que reconhece a importância da iniciativa diante da crise na falta de médicos em várias regiões do país. E disse que espera que Serra Talhada seja contemplada o quanto antes. “Espero que os médicos que vierem trabalhar aqui, venham não como intercambistas, mas como fixos e quem venham falando português”, ponderou.