Exposição Fotográfica e recital marcam ação da Secretaria da Mulher em ST

Em alusão ao Dia Internacional da Mulher Negra Latino-americana e Caribenha, lembrado em 25 de julho, dezenas de pessoas compareceram ao pátio da Feira Livre de Serra Talhada nesta segunda-feira (28) para homenagear as guerreiras negras do município. No projeto, a Secretaria da Mulher ofereceu várias atividades ao público, como exposições de fotografias, palestras, exames […]

29 de julho de 2013 | 20:05

Em alusão ao Dia Internacional da Mulher Negra Latino-americana e Caribenha, lembrado em 25 de julho, dezenas de pessoas compareceram ao pátio da Feira Livre de Serra Talhada nesta segunda-feira (28) para homenagear as guerreiras negras do município. No projeto, a Secretaria da Mulher ofereceu várias atividades ao público, como exposições de fotografias, palestras, exames de saúde, mostra de artesanato, maquiagem e apresentações artísticas.

 As fotos foram assinadas pelo fotógrafo argentino, radicado na Capital do Xaxado, Alejandro García, que registrou a sutileza da beleza afro presente na mulher serratalhdense. O recital poético contou com a atuação da jovem Williane de Souza, que emocionou o público com um relato sobre o orgulho de ter a identidade negra. Fortaleceu o evento ainda uma exposição de artesanato do grupo de mulheres artesãs da cidade.

A homenagem ao Dia Internacional da Mulher Negra Latino-americana e Caribenha em Serra Talhada teve a parceira das secretarias de Saúde e Igualdade Racial do município e fechou com as palavras da secretária da Mulher e vice-prefeita, Tatiana Duarte. Ele destacou a importância da valorização das mulheres negras e, fechando o discurso, mobilizou dezenas de pessoas para dar as mãos e entoar uma oração de perdão às atrocidades contra todas as mulheres negras vítimas de violência na cidade.

“Esse evento não é para comemorar uma data, mas para alertarmos para uma reflexão contra o preconceito, que só começa a ser combatido com o estímulo ao conhecimento da realidade do outro. E se já somos vítimas de violência em nosso município, enquanto mulheres, as atrocidades são ainda mais fortes contras as mulheres negras. Essa é uma data para lembrarmos que a nossa luta aqui apenas começou pela consolidação de direitos”.